Caso Heloá: vídeo mostra confissão de vizinho preso por matar criança: ‘Fiz o que fiz’

Postado segunda feira 17/02 por lenil de Oliveira

Elivelton Santos Furtado afirmou que invadiu a casa com a intenção de furtar o que seria o 13º salário do pai da vítima. Corpo de Heloá Pereira, de 11 anos, foi encontrado com marcas de facada em uma fossa, em Piedade.

Um vídeo obtido pelo G1 mostra a confissão do vizinho que foi preso por matar a menina Heloá Pereira, de 11 anos, a facadas e esconder o corpo dentro de uma fossa nos fundos da casa da família da vítima, no bairro Vila Eraldino, na zona rural de Piedade (SP).

https://globoplay.globo.com/v/8324172/

G1 teve acesso exclusivo a uma parte do interrogatório de Elivelton Santos Furtado, de 22 anos. A prisão do rapaz ocorreu na sexta-feira (14), quando policiais militares que faziam patrulhamento na estrada que liga Tapiraí (SP) a Pilar do Sul (SP) viram-no caminhando pelo acostamento, por volta de 12h20. Ao perceber a aproximação da viatura, ele tentou fugir pulando uma cerca, mas foi alcançado e reconhecido pela equipe.

Deitei ela [Heloá] na cama e segurei o pescoço dela com a mão e ela desmaiou uma vez. Nesse momento, eu baixei a calça dela quando ela acordou de uma vez e tinha uma faca lá, e fiz o que fiz. Coloquei ela no lençol e levei ela no buraco”, disse.

Em outro documento, no termo de interrogatório, o lavrador admitiu o crime e afirmou que mantinha relação de amizade com família da vítima. Segundo o registro, no dia anterior ao homicídio ele esteve em um bar no bairro Douradinho com colegas e o pai de Heloá.

O investigado contou que fez uso de álcool e crack e voltou para casa por volta das 22h30. Durante a noite, Elivelton fez uso de drogas em seu quarto e de manhã viu o pai da criança saindo de casa.

http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/videos/v/caso-heloa-video-mostra-confissao-de-vizinho-preso-por-matar-crianca-fiz-o-que-fiz/8329310/

Em seguida, invadiu a casa com a intenção de furtar o valor que seria o 13º salário do pai de Heloá. A porta do imóvel, conforme o relato, estava encostada. No entanto, um barulho fez a vítima acordar e gritar ao ver o rosto dele encoberto. O criminoso golpeou a criança e a levou desmaiada para o quarto dele, onde o crime ocorreu.

Encobrindo o homicídio

Depois de deixar a vítima morta na fossa desativada, o rapaz voltou para casa e tentou limpar as paredes e o chão com um lençol. O investigado frisou em interrogatório que não foi ajudado por ninguém.

Em determinado momento o pai de Heloá foi até a casa do vizinho e, sem desconfiar, pediu ajuda para procurá-la. Contudo, Elivelton decidiu fugir quando a polícia começou a usar cães farejadores nas buscas.

Antes de se esconder, o indiciado disse que deu um abraço na mãe dele, mas não falou sobre o crime. Durante o tempo em que esteve foragido invadiu casas desabitadas e comia frutas.

Elivelton chegou a deixar bilhetes na lavoura de seu tio. Ele dizia nos recados que queria conversar com o irmão para pedir perdão e ajuda para se entregar.

Justiça havia decretado a prisão temporária no dia 21 de dezembro do ano passado, que deve ser convertida em preventiva.

Família vizinha

A mãe de Elivelton acompanhou a polícia na procura pelo filho e chegou a dizer que quer que a Justiça seja feita, caso ele fosse o autor. Segundo ela, no dia do crime, Elivelton estava bastante nervoso, limpou o quarto e queimou objetos no quintal.

Em janeiro deste ano, familiares e amigos se organizaram em grupos para procurar pelo suspeito. Uma força-tarefa das polícias Civil e Militar, da Guarda Municipal e de voluntários também foi realizada na cidade atrás de pistas de Elivelton.

O caso foi registrado como captura de procurado em Tapiraí e a investigação continua em Piedade, por onde corre o inquérito policial.

Desaparecimento

garota desapareceu no dia 19 de dezembro de 2019, por volta das 6h30, quando ficou sozinha em casa por aproximadamente meia hora para que o pai, que é motorista, fosse buscar o caminhão que usa para trabalhar.

A menina ficou dormindo no quarto e, quando o pai, Robson Pereira, voltou para buscá-la e levá-la para a casa da avó paterna constatou que a criança não estava em casa. Robson prestou depoimento à polícia e disse que a prática de deixar a filha em casa era rotina.

Marcas de facada

Heloá foi encontrada morta por um vizinho, que é irmão do suspeito, por volta das 21h do dia seguinte ao desaparecimento.

Segundo o laudo pericial, ela tinha 18 marcas de facada no tórax e nas costas, ferimentos na cabeça e sinais de estupro. A morte por hemorragia interna foi constatada no laudo necroscópico, divulgado em janeiro deste ano.

A menina também foi encontrada seminua, apenas com a camiseta, enrolada em plástico, cobertor e lençol. A calça e a calcinha estavam ao lado do corpo.

No entanto, o resultado do laudo sobre a possível violência sexual foi inconclusivo por conta da umidade do local onde o corpo foi encontrado e do estado de decomposição da vítima. Um laudo complementar será realizado para determinar se havia material genético do suspeito nas partes íntimas da criança.

O corpo de Heloá foi velado e sepultado no dia 21 de dezembro. O enterro ocorreu no Cemitério Jardim Eterno, em Piedade. A menina morava com o pai e um irmão. A mãe dela morreu em 2018.

Informações em tempo real notícias atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.