PAIS LEVAM FILHO A TOPO DE MORRO PARA TER SINAL DE INTERNET E PODER ESTUDAR,EM DOVERLÂNDIA

Atualizado segunda feira 06/04 por lenil de Oliveira

A dona de casa Gislene Malaquias Machado, 33 anos, e o caseiro Rony Santana Melo, de 43, têm feito um esforço extra para manter os filhos estudando durante o período de isolamento – por causa do coronavírus. Enquanto estão sem aulas presenciais, eles sobem um morro todos os dias para enviar as tarefas prontas e fazer o download das novas, já que o ponto é o único com acesso a internet na região em que vivem.

Os pais e os quatro filhos – um de 5, um de 11 e dois de 17 anos – moram na zona rural de Doverlândia, no oeste de Goiás. Caçula da família, Thalys Henrique Malaquias acompanha os pais no trajeto até o morro levando o caderno para adiantar a lição enviada e orientada pela professora.

“Eu gosto de fazer tarefa, brincar e comer”, contou o garoto.

Quando as aulas foram suspensas, seguindo decreto estadual, Gislene e Rony pensaram na solução.

“É o único lugar que pega a internet do celular. Dá 4 km ida e volta. […] Já estamos fazendo isso há umas duas semanas. Quando a escola comunicou como ia funcionar a gente começou a ir”, contou a mãe.

Gislene disse que vê a atitude como uma parte do papel dela e do marido como pais. Eles estão fazendo o que podem para manter os filhos estudando e, ao mesmo tempo, longe de possível contágio pelo coronavírus.

“É necessário para eles não ficarem sem os estudos. Não é nenhum sacrifício e é mais seguro do que mandar eles para a escola agora”, avaliou a mãe.

Ela contou que sobe o morro com o marido uma vez por dia e geralmente à moto, porque o caminho é muito íngreme. Geralmente, eles fazem o trajeto após o almoço, que compreende o período em que os professores estão disponíveis.

“A gente vai, entra nos links que a professora manda, copia o texto da tarefa, os meninos respondem no caderno, daí a gente tira foto e manda para eles. Como fica longe, a escola disse que podemos mandar as tarefas de um dia no dia seguinte quando formos pegar as novas”, descreveu.

Lúcia Regina Lourenço Tosta, diretora da Escola Municipal Rural Alegria do Saber, onde os meninos estudam, disse que o esforço dos pais para manter os filhos disciplinados e fazendo as atividades é fundamental principalmente na zona rural. Segundo ela, muitos alunos precisam sair de casa para ter acesso à internet.

Emocionada, ela disse que se surpreende sempre que vê a dedicação e responsabilidade dos alunos e dos pais.

“Pais com compromisso de ajudar seus filhos não medem esforços. Andam quilômetros a pé, ficam debaixo de árvores por causa do sol quente e muitas vezes chuvas. mas estão presentes”, afirmou.

Fonte: G1 Informações em tempo real notícias atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.